quarta-feira, 18 de agosto de 2010

TOTALITARISMO E AUTORITARISMO

                    COMPARAÇÃO ENTRE TOTALITARISMO E AUTORITARISMO

Esse conteúdo atende aos alunos do Nono Ano do Ensino Fundamental e Terceiro do Ensino Médio

          Os movimentos totalitários e autoritaristas são um fenômeno das sociedades de massa por isso se inserem no contexto da década de 20 e 30 do início do século XX. É importante assinalar, porém, que totalitarismo e autoritarismo se referem, na Ciência Política atual, a uma categoria de análise mais geral denominada sistemas hierárquicos, ou seja, todos aqueles sistemas em que o poder deriva mais ou menos de uma cúpula (no limite, de um líder) ou de grupos de elite. Há, no entanto, diferenças notáveis entre os dois termos que precisam ser esclarecidas.
                                         _______________ xxx_________________

                                                            O TOTALITARIMO:No sentido original:





          “Totalitários” seriam aqueles sistemas de governo que tentariam conformar os cidadãos dentro de uma ideologia, para isso fazendo uso de mecanismos de controle e coação, e, ao mesmo tempo, buscariam mobilizá-los (Jesse, 1996, p. 12).

Pode-se falar de totalitarismo como:

  • um movimento de massas, de tendência centralizadora, conduzido autoritariamente por uma minoria política através do monopólio da autoridade e do Estado.

• Um movimento que realiza a expansão do controle governamental sobre a globalidade da vida social.

• uma ideologia elaborada, composta de uma doutrina oficial que abrange todos os aspectos vitais da existência humana.

O termo totalitarismo surge no século XX para descrever as experiências nazistas, fascistas e stalinistas que tiveram em comum:

• o Estado enquanto monopolizador da expressão da verdade, criando, assim, uma verdade oficial;

• negação da pluralidade de pensamento;

• censura política e imposição do partido único;

• controle de todas as atividades da sociedade pelo Estado;

• monopólio, pelo Estado, dos meios de comunicação de massa e seu uso como instrumento de dominação;


No totalitarismo, o controle do Estado se exerce através de duas armas fundamentais:

                             • a propaganda política;

                             • o estabelecimento do terror.

 propaganda se torna eficaz através:

          (a) da simplificação das mensagens, transformadas em palavras de ordem ou slogans;

          (b) da desfiguração grosseira dos fatos;

          (c) da busca de unanimidade, pela supressão da diferença;

          (d) do uso repetitivo dos temas de interesse nos meios de comunicação de massa.


O terror é estabelecido através:

               (a) da atomização dos indivíduos;

               (b) do extermínio físico, social, cultural e moral dos "inimigos objetivos";

               (c) do clima de espionagem e suspeita de todos sobre todos;

               (d) da instituição da polícia secreta.
___________________________________....><...._____________________________________
                                                
                                                             O AUTORITARISMO
          O autoritarismo é um neologismo da Ciência Política do final do século XIX e recentemente se refere a um fenômeno típico de países de desenvolvimento econômico retardatário,(em desenvolvimento ou pobres) onde as regras do jogo político são dadas por elites tradicionais( como as oligarquias) ou por elites modernizantes, em colaboração com poderes extranacionais.

          Enquanto nas formas totalitárias de governo o componente político e a chamada à participação das massas é algo central, organizado e dirigido, nos regimes autoritários tal situação é oposta.

No autoritarismo:

• Há poucos ou muitos partidos políticos, não importa, porque estes atuam de forma burocratizada e de cima para baixo.

• Geralmente florescem no seio de uma escassa participação popular;

• As elites se legitimam pela inércia e passividade, conformismo e apatia das massas.

• A mentalidade dominante é diluída, inerte e rotineira. (Deixa estar,para ver como fica)

• Há um deliberado relaxamento de supervisão e controle sobre as atividades não-políticas dos cidadãos;

          A idéia básica é que regimes militares, como os do Brasil, Chile e Argentina, durante os anos 70, merecem a qualificação de “autoritários”, porque repressivos e antidemocráticos, mas não “totalitários”, porque não pretendiam, como o nazifascismo e o comunismo, impor normas a todos os aspectos da vida social.

          Tomando por base algumas considerações propostas por Eckhard Jesse, podemos apontar os seguintes aspectos para diferencir e comparar o TOTALITARISMO de AUTORITARISMO:

• Um sistema totalitário se diferencia por uma centralização rígida de poder, enquanto um sistema autoritário ainda asseguracerto pluralismo, mesmo que limitado;

• um sistema totalitário tem por base uma ideologia exclusiva, enquanto um sistema autoritário se fundamenta numa postura tradicional não-conformada rigidamente;

• enquanto um sistema totalitário força a mobilização das massas através de mecanismos de integração e de persuasão, um sistema autoritário renuncia a uma participação dirigida das massas, satisfazendo-se com a apatia política geral (cf. Jesse,1996, p. 20).
 ____________________________________________________
Pesquisa e fundamentos para organização do resumo foram retirados das seguintes fontes:

- Revista Eletrônica Literatura e Autoritarismo, nº 14 – Julho-Dezembro 2009 – ISSN 1679-849X

http://w3.ufsm.br/grpesqla/revista/num14/

- http://www.ifl.pt/main/Portals/0/dic/totalitarismo.pdf

- http://br.monografias.com/trabalhos2/exterminio-violentacao-banalizacao/exterminio-violentacao-banalizacao.shtml

- http://grito-verde.blogspot.com/2008/01/chau-e-o-totalitarismo.html

Citações de: JESSE, Eckhard. Die Totalitarismusforschung im Streit der Meinungen. In: JESSE, Eckhard (Org.). Totalitarismus im 20. Jahrhundert. Eine Bilanz der internationalen Forschung. Bonn: Bundeszentrale für politische Bildung, 1996, p. 9-39.

SCANTIMBURGO, João de. O mal na História: os totalitarismos do século XX. São Paulo: LTr, 1999.

TRAVERSO, Enzo. Le Totalitarisme. Le XX ème siècle em debát. Paris: Seuil, 2001.

4 comentários:

  1. excelente comparação de forma clara e ampla.me ajudou muito. obrigado.

    ResponderExcluir
  2. me ajudou muito vlw!!! tirei 10 em sociologia!

    ResponderExcluir
  3. Nossa, adorei. Entendi perfeitamente

    ResponderExcluir